segunda-feira, abril 28, 2008

Durma, medo meu


' O meu medo de ter medo, de ter medo' :(



Queria nas noites de insônias
Pintar aos teus olhos a minha imagem de mulher
E fazer do teu corpo, um abrigo
Queria que nas tardes frias
Meus cantos de amores lhe tocassem
E que tocássemos juntos nossa canção
Cada carinho se perde entre pensar e fazer
Cada nota se esconde e se desespera no meu coração
E o resumo das tais ondas frenéticas do pensamento
É você
A força inexplicável, que me faz tragar da dor a vontade.
É você
Meu corpo, meu sangue, cada gota de dor que escorre no rosto,
Você está ali, aqui, aqui dentro.
Permanece como a certeza desse louco amor
Dilacera o coração e me ferve o sangue
Toca a alma, e desperta desejos secretos.
Mas mesmo na minha frente,
Os olhos que procura não são os meus
E quem dera poder atravessar o seu olhar
E decifrar onde querem ir as linhas do teu coração
E no caminho até a sua janela
É fácil me perder nestas minhas linhas
Perder-me nesse amor de um lado só
Perder-me nos teus olhos, na tua boca, no teu corpo
Perder-me em você, dentro de você
Em algum lugar eu devo me encontrar
Perder em amor, e só amor, nada mais
Perder-me no silêncio
Dos meus pensamentos proibidos.
-
♪ A Pedra Mais Alta - O Teatro Mágico ♫

Um comentário:

Maah disse...

Per-fei-to . *levanta-se batendo palmas, permanecendo com uma expressão encantada*

;*