sábado, junho 07, 2008

Sobra tanta falta .

-


Nós habitávamos os céus, e mesmo assim lutavámos para subir. Caimos feio, e nos machucamos por estarmos longe demais para um abraço. Cada ferida dói hoje, como carne viva de uma ferida recente, profunda e interminável. Imploramos por um pedacinho do céu . Sem vce nada faz sentido, se sorrio, sorrio com os lábios, pois minha alma deseja estar contigo. Nada me diverte mais, sua companhia era meu refúgio de diversão. As lágrimas que inundam meu rosto, e que não sessarão essa noite, ou esses dias, justicam a falta que vce me faz. Eu sempre dizia que um dia eu iria embora de Tucano, e isso me parecia fácil, bom... e longe. Mas de repente fui pega de surpresa, e tudo mudou de maneira brusca. Minhas manhãs, minhas tardes, minhas noites. Foi aí que percebi o quanto mudar de cidade pode confundir e intimidar. Confesso que tenho medo, medo de ser esquecida, medo de não ser importante, de não ser mais a mamãe do quarteto, medo de que não me peçam conselhos. E sabe o que dói? O que dói é não me sentar no passeio do ist esperando você chegar, não ouvir a sirene, não escrever no intervalo. O que dói é não pegar o mesmo ônibus, o que dói é não gritar 'beeeell' na janela da sua casa. O que dói é não cochichar besteiras nas madrugadas dos fins de semana. O que dói é não ligar o seu pc pra ouvir TM ou Taviani. O que dói é não comer presunto com biscoito. O que dói, é não ter ninguém pra me abraçar como você, pra dividir os meus segredos.O que dói é saber que minha rotina mudou completamente, e para sempre. Não viver momentos únicos, que vão passar enquanto vce estiver aí e eu aqui.





Eu te amo Isabella, e não imaginei que essa saudade pudesse doer tanto. És essencial pra mim, de maneira mais forte do que achei ser. És a minha paz, meu céu, meu oxigênio . E será sempre. Cuide-se, como vce sempre cuidou de mim, e estará bem.

-

♪ Lanterna Dos Afogados - Cássia Eller

Nenhum comentário: