segunda-feira, julho 21, 2008

Recanto de desejos

... Essa coisa de estar tão perto e tão longe ...

Não me faz muito bem ...


Antes de qualquer comentário, sim, o texto é antigo.

-

Pensando nas tardes frias
Que me fez passar sem teu amor
Pensando no sorriso cínico
Que saia dos teus lábios e me fervia o sangue
Pensando nas carícias sem amor
E nas frases que não terão perdão
Vendo-me cair, aos prantos
Meus gritos ecoam aos quatro cantos.

Queria que nas tardes de tormentos
Meus gritos surdassem teus ouvidos insanos
E fossem capazes de mudar
O ser – humano podre que você é
Queria que as lágrimas que saem de mim
Tocassem-lhe, só uma vez
E meu mundo parasse onde está
Que um adeus de vez me fizesse bem
Queria o impossível...
O seu amor.


-

Ouvir o silêncio, também faz bem.

domingo, julho 13, 2008

"..."

-

"Solução é a solidão de nós.
Deixe eu me livrar das minhas marcas;
Deixe eu me lembrar de criar asas."

Ela tem asas de anjo ou beija-flor?
Ela tem asas?

-

"..." - O Teatro Mágico.

Sensibilidade

-


Eu que sonhei por tanto tempo em ser livre...Me prenda em seus braços... é o que eu te peço..."

-

Sensível, sempre fui. Sempre sofrendo mais que os outros pelos corpos de vidro quebrados, pelos atrasos, pelos amores. O corte não era meu, o atraso também não, e os amores...ah, os amores! Talvez os cortes fossem mais fáceis e mais reais mesmo não sendo meus. Acontecia como um ritual. Dóia sempre, mas nunca brotavam lágrimas. Brotava um tristeza, óbvia, visível, forte. E depois, uma fala prgramada: "Ela sabe se virar". E sabia, sempre soube e ainda sei. Ainda tenho a mesma mania de saber terminar. De saber seguir em frente. De não ter medo. E me parece que agora, eu estou no meio de mais um ritual. Meio, não é mais o começo, e está longe de terminar. Coração acelerado, sorrisos bobos. Vontade, vácuo.

♪ Um Edifício No Meio Do Mundo - Ana Carolina ♫

segunda-feira, julho 07, 2008

Criar asas.

-


Desde aquele dia... Meio fora de área.


-

Essa é a reciprocidade. A reciprocidade que eu quis... Do mesmo jeito. Assim como vai, há alguns dias, ela veio. Pelo menos eu achava. Achava que sentia muito pouco. Achava que sentia o pouco que me declarou. Achava que sabia separar o possível do impossível. Mas não sei. Estou morrendo de amores, por alguém que poderia estar mais perto. E se estivesse? O que seria de mim? De nós? Existiria um ''nós''? Eu não sei esconder a euforia que me toma ao perceber que talvez essa resposta pudesse ser positiva. Eu queria ter aquele dia todos os dias, queria ter alguém muito mais perto. Confessar-lhe ao pé do ouvido tudo o que pensei, lhe dizer que não me importaria de não ter sol na manhã seguinte, se soubesse que teria ao meu lado o brilho do olhar mais bonito que já vi. Sussurrar baixinho um ''eu te amo''. Beijar-lhe os lábios e sentir o gosto doce de amor correspondido. E eu não precisaria mais fazer poesia, pois a minha vida por si só seria gostosa como a leitura de um poema. E todas as vezes em que sonho com tudo isso percebo o quanto esse sentimento cresceu, como invade os meus poros mais e mais a cada dia. Percebo o quanto continuo presa a esse platonismo. De tudo, eu só queria realidade.



♪ Eu Quero Sempre Mais - Ira! e Pitty ♫

sexta-feira, julho 04, 2008

tic tac, tic tac, tic tac...



Os dias cheiram a medo
Medo de estar realmente perdida no teu sorriso
Viro a cara, escondo, esqueço.
E sua imagem parece mesmo me fugir da memória
Mas se chego perto,
Se ouço a sua voz, a sinto vibrar dentro de mim.
Me permito jogar o seu jogo
Acompanho o teu sorriso, também rindo
Mas meu sorriso expressa muito mais que uma nova amizade
Nossos olhares se encontram, e sinto calafrios
Para você, o olhar de uma menina pouco importante
Para mim o olhar de alguém que tem me roubado os dias
Me pergunto se não percebe a força que há no meu abraço
A vontade, o desejo de que sinta também
A euforia que sinto quando nossos corpos se tocam.
Mas minhas poucas palavras ainda impedem uma aproximação
Talvez seja melhor mesmo calar,
Para não falar demais.





-


♪ Soprano - O Teatro Mágico

- Contraditória -




Não sussurre, não abrace
Não provoque
Quero distância de tudo que pode ser você
Não quero lembrar os teus olhos
Não preciso ouvir as suas músicas
Eu só quero estar distante
Eu só quero não querer

Eu não quero sentir calafrios ao ouvir a sua voz<
Não quero teu corpo junto ao meu
Não quero teus lábios sorrindo provocantes
Eu não preciso dividir,
Amar, ou viver você.
Eu só preciso não precisar.

♪ Vai Embora - Angela Rô Rô ♫

quarta-feira, julho 02, 2008

'



Iria só até o fim, daria tudo e mais um pouco de mim.


Ela está sentada, em frente aos livros, tentando esvaziar a dor. Está confusa, não sonha mais, nunca teve sonhos. Ela não é sexy, está fora de padrão. Usa lápis pra esconder as lágrimas. Ultimamente, tem dito mil adoros para um amo. Ela tem medo do amor, medo de não amar mais, medo do que se tornou. Medo da linha fina entre amor e ódio, tem medo das notas baixas, da sua estranheza, sua esquisitice. Ela tem medo das vozes à noite, elas são as mesmas do dia, mas estão juntas, próximas, e em poucos segundos... Ela está caída no chão.


-

♪ Surfando Karmas e DNA - Engenheiros de Hawaii ♫

terça-feira, julho 01, 2008

Aviso - Catedral



Não, garota anda devagar

Quem tem medo pode dizer não
A tudo que existirá na face louca
Do teu ser que tem fome
E vê a indecisão
E crê que ja era e foje sem pedir.
Não destrói a mola da paixão
Não desperte o sentimento em vão
Não garota anda devagar
(...)
Te fere e você nao vê
Que a distância nao é a melhor opção
O amor mora ao lado
Basta seguir o coração
Não destrói a mola da paixão
Não desperta o sentimento em vão.

.

-

Sabe, eu não sei falar sobre isso. Posso pedir um abraço?
''Sonho é uma coisa que fica [só] dentro do travesseiro''
Parecia tão real...


-


♪ Ela e o Castelo - Catedral ♫