terça-feira, outubro 14, 2008




Romeu: O amor é assim mesmo: as dores pesam no peito, mas isso só aumenta os efeitos da paixão. O amor é uma fumaça de suspiros, é fogo que ameaça o olhar, é um rio de lágrimas quando contrariado... Que mais? É uma loucura sensata, é um fel que sufoca, é uma doçura que anima.





(...)





Benvólio: Escute o que digo: não pense mais nela.

Romeu: Então me ensine como não pensar.

Benvólio: Abra os olhos; há muitas belezas para se olhar.

Romeu: Essa é a melhor maneira de comprovar a beleza dela. Mostre-me, pois, uma beldade rara; servirá, ao menos, como sugestão para que eu lembre quem a excedeu em formosura. Adeus. Você nunca vai me ensinar o esquecimento.



[Romeu e Julieta - William Shakespeare]





-



O muito embreve misturou amargo e doce, um doce que se perde nos lábios sozinhos, deixando só dor no amargo silêncio, no sorriso forçado, na espera.
>Sinal de Adeus - Isabella Taviani

Nenhum comentário: