domingo, dezembro 28, 2008

Intenso e chulo

O silêncio que soou aquele abraço, a carícia que não acariciou. O movimento contrário ao de costume. Ah, criança, isso é o fim? É um começo proutros cantos. Os meus olhos leram atentos as palavras cravadas tão contemporâneas. Você leu nos meus olhos o medo? Sentiu na minha pele o fervor que desejei? Ela te beijava como eu? Ela sempre lhe dizia "eu te amo"?Ela te completa, meu amor? Expressão mais chula! ''meu amor''?! Vinte mil vezes cravada em meus ouvidos e hoje tão vulgar, infiel, irreal. Por que você a chamou assim, por quê? Nós ainda somos o que eramos ontem? Não, não somos. Você me falou sobre estar mais tranquilo e sorriu provocante quando os meus olhos pousaram no seu pescoço, no teu corpo farto. Devo dizer que seu bem-estar me machucou? Devo dizer que prefiro os seus instintos à flor da pele? É egoísmo? Que seja! Que seja! Eu sempre quis ser isso mesmo...E quando ela pousava os dedos sobre o teu corpo, você arrepiava como comigo? Você sentia prazer ao dançar sobre o corpo dela como quando dançava sobre o meu? Não, não. Eu sei que ninguém amou como eu a sua presença, ninguém tocou o seu corpo ou lhe fez dizer "Eu amo você" com tanta certeza. Ela foi a garota reserva, e reservas jogam bem, claro que sim. Mas nada substitue uma titular. Incluse no quesito que diz: Reservas não machucam. Titulares sempre roubam a bola, e machucam por falta.



-

Accidental Babies - Damien Rice

Nenhum comentário: