domingo, junho 28, 2009

Sonho que não se sonha

Não imaginei que a manhã de hoje seria assim. Estavamos em silêncio absoluto, nem troca de olhares havia. Ah, isso me incomoda tanto! E quando eu quase dizia "Eu preferia a briga a ferro e fogo", ouvi gritos, pancadas, e novamente gritos. Fui ao fundo e vi o garoto que gritava.
-Ai, tá doendo
-Cala a boca, moleque.
As pancadas sessaram. Para minha surpresa, o garoto falou:
-Pega o cinto!
-Você quer mais, é? Não já apanhou o suficiente?
-Não, eu quero que o senhor me mate! Pega o cinto!
E o homem voltou, em fúria, dai eu contei mais umas 20 pancadas. O silêncio voltou.

Today

Horóscopo de hoje: Domingo bom para se dedicar aos filhos e aos amores, as atividades de lazer e descontração, desde que você planeje tudo com certa antecedência. Mesmo assim, deixe um espaço aberto para o imponderável e tente não se alarmar demais com suas intuições. Nem todos respeitam.

Sorte de hoje: Não tenha medo de andar devagar. Só tenha medo de ficar parado.

... E ainda querem que eu permaneça imóvel.

A Carta.

"Se eles vão nos receber?
É mais fácil condenar!"



Eu só quero o meu lugar ao sol. Amar não é um crime. E o que eu sinto é amor. Não venha me dizer que não. (...) E sabe quando o seu coração pulsa pelo ariano sem vergonha? Eu tento entender. Sabe a sua barriga explodindo pela segunda vez? Eu tento entender. Sabe a sua vontade de me prender? Eu tento entender. Sabe quando o nosso menino teve febre, quando quase não podia respirar, quando derramou sangue pelo chão da sala? Eu estava lá. Eu vi a sua coleção de erros se multiplicando e se repetindo como num disco riscado. Mas eu estive segurando a sua mão. Sabe, eu deixei que você errasse, pra que batesse com a cara na porta e não quisesse mais abri-la. No fim das contas, acho que você aprendeu a lição. Eu queria que você me deixasse bater a cara na porta. Você tem medo de que eu não bata, medo de que ela esteja aberta, e eu entre, e que lá eu me machuque. Mas você está me machucando, o tempo todo. Eu não queria sentir isso, eu juro. (...) Então eu ouço sair da sua boca a frase ‘Se acontecer o pior...’, ISSO É O PIOR? Não é não. Eu vejo você denegrir todo o relacionamento que eu queria, e dizer que ignoro. Eu ignoro porque já vivi, e no fundo você sabe que continuei vivendo. É lindo. É intenso. É inebriante. (...) Tenho outros sonhos. Eu quero trabalhar, quero crescer na vida, quero passar pelas ruas e ouvir as pessoas dizendo ‘você é a Eva Cidrack?’, eu não desejo casar e constituir uma família com um homem nojento que ponha os pés na mesa da sala comendo carne com as mãos. Eu quero um amor bonito. Isso soa como fim do mundo pra você? Não deveria. Repare na leveza das palavras, repare como soa como canção cada coisa que eu disse. (...) Eu te juro que só quero ser feliz, mas do meu jeito. (...) Mas vai doer deixar ela ir embora, sabe? Porque ela é o meu coração. E se o meu coração se vai, sangra. Quando a vejo, é como se borboletas voassem no meu estomago, quando as mãos dela tocam as minhas mãos, eu não sei explicar... é uma maciez, uma leveza, um carinho tão bom. Não imagino outra definição pra felicidade. Você é feliz afetivamente? Quem é, nessa história? (...) você sabe, você percebeu, eu sei que percebeu. Mas quer se enganar, quer fechar os olhos e fingir que eu estava doente. EU NÃO ESTAVA, EU NÃO ESTOU DOENTE. Eu estou amando. E amando como você ama, com o coração, com a pele, com o corpo, exatamente da mesma forma, há 2 anos. Ninguém beija alguém que não lhe atrai, ninguém sente que ama quem não ama, ninguém faz nada sem querer.

Mesmo assim, eu vou mandar ela embora. Eu vou reprimir as minhas vontades. Eu vou jogar fora os meus sentimentos, a vida que eu queria ter. Só não me peça pra ser feliz vivendo os seus sonhos. Só não me peça pra gostar de ser quem você quer que eu seja. Só não me peça pra não chorar, pra não perder a vontade de voltar pra casa, pra não vacilar. Só não me peça pra não sentir o vazio que me dá quando vejo o dia passar e ela não estar comigo. Ainda assim, eu vou fazer o que você quer.

"Mesmo que chegue o momento
Que eu não esteja mais aqui
E os meus ossos virem adulbo
Você pode me encontrar
No avesso de uma dor"

quarta-feira, junho 24, 2009

Pulsa



'Doravante, eu o sei e qualquer um o sabe:
O coração tem domicílio no peito.
Comigo a anatomia enlouqueceu.
- Sou todo coração.
Em todas as partes pulsa.'

[Maiakoviski]


sábado, junho 20, 2009

É preferida pelo beija-flor.


-



— Há milhões e milhões de anos que as flores fabricam espinhos. Há milhões e milhões de anos que os carneiros as comem, apesar de tudo. E não será sério procurar compreender por que perdem tanto tempo fabricando espinhos inúteis? Não terá importância a guerra dos carneiros e das flores? Não será mais importante que as contas do tal sujeito? E se eu, por minha vez, conheço uma flor única no mundo, que só existe no meu planeta, e que um belo dia um carneirinho pode liquidar num só golpe, sem avaliar o que faz, — isto não tem importância?!
Corou um pouco, e continuou em seguida:
Se alguém ama uma flor da qual só existe um exemplar em milhões e milhões de estrelas, isso basta para que seja feliz quando a contempla. Ele pensa: "Minha flor está lá, nalgum lugar. . . " Mas se o carneiro come a flor, é para ele, bruscamente, como se todas as estrelas se apagassem! E isto não tem importância!


(...)

E, quando regou pela última vez a flor, e se dispunha a colocá-la sob a redoma, percebeu que estava com vontade de chorar.
— Adeus, disse ele à flor.
Mas a flor não respondeu.
— Adeus, repetiu ele.
Revolveu cuidadosamente seus dois vulcões
A flor tossiu. Mas não era por causa do resfriado.
— Eu fui uma tola, disse por fim. Peço-te perdão.
Trata de ser feliz.
A ausência de censuras o surpreendeu. Ficou parado, inteiramente sem jeito, com a redoma no ar. Não podia compreender essa calma doçura.
É claro que eu te amo, disse-lhe a flor. Foi por minha culpa que não soubeste de nada. Isso não tem importância. Foste tão tolo quanto eu. Trata de ser feliz... (...) Não demores assim, que é exasperante. Tu decidiste partir. Vai-te embora!
Pois ela não queria que ele a visse chorar. Era uma flor muito orgulhosa.

(O Pequeno Príncipe - Antonie Saint-Exupéry)

-



quarta-feira, junho 17, 2009

Tempo, tempo, tempo ... [Geminiano!]

Eu passei o dia todo pensando no que te dizer hoje, o dia está acabando e eu ainda não sei. Eu precisava dizer algo que traduzisse tudo o que te desejo, mas não consigo. As palavras sempre me fogem ao falar com você, porque é tudo tão frágil, sabe? Acho que as lembranças são meio como os cristais. E as de muito tempo, então... Aí é que a gente deve ter cuidado pra não quebrar, pra não jogar fora, não deixar perder a cor, o brilho. Por favor, (deve ser super antiético fazer pedidos ao aniversariante! rs), não deixe que o nosso cristal quebre. Ele levou tanto tempo escondido no fundo de mim, que agora que você o pôs pra fora não dá pra voltar. E caso eu tente, vai doer muito. Imagine ter que atravessar muitos espaços, com força, pra que o cristal volte e se esconda, achando que nunca deveria ter saído? Não é bom, não é. Eu quero você por perto. Das poucas coisas que sei sobre a minha relação com você, essa é uma concreta. É estranho dizer isso, mas você é como um porto, onde sei que posso repousar.
Talvez eu não tenha repousado ainda por medo, ou pela minha eterna mania de sondar os terrenos pra verificar se não há armadilhas. Eu sei que você não é uma, mas ainda assim, não deixo de me segurar em alguns momentos. Acho que não sei “pular de cabeça” em situação alguma. Mas olha só, eu vim te dar os parabéns e já comecei a falar de mim, que egoísta! Então, Eduardo, é isso. Eu te desejo felicidade, e (completando a idéia de egoísmo do recado), não a desejo independente da sua presença, eu quero que você seja feliz estando por perto. Não se distancie, não. Não vá embora de fora de mim, porque de dentro eu já não sei se posso expulsar. Fique mais, mate a saudade, volte no tempo, ou construa nesse tempo o que o passado te proporcionou de bom. Seja muito, muito feliz.

(e eu não sei em que horas dizer, me dá um medo! É que eu preciso dizer que...)

Eu te amo.

E mesmo certos vão pedir perdão.

-

Jasper: Por que eu sempre me apaixono pela bad girl?
Iris: Porque você espera estar errado. E toda vez que ela faz algo que mostra que ela não é boa, você ignora. E toda vez que ela vem e te surpreende, ela te ganha. E você perde o argumento que dava a você mesmo, de que ela não é para você.


-

quinta-feira, junho 11, 2009

Oh, metade exilada de mim

"(...) eu não quero me prender em te prender. vou acabar perdendo o que te demorei à encontrar. você faz falta quando vai. e quando está, parece durar apenas um segundo." (Paola De Mori)

Esse pra sempre custa tanto a chegar, que os meus dedos fervem, os meus olhos doem, meu desejo suícida. Eu quero te querer um pouco mais, e mergulhar no carinho que agora me parece tão ávido, tão bom, tão seguro. Por horas desejei não estar ali, mas que fosse contigo, em outro lugar, que fosse conosco, pela eternidade. Eu não soube aproveitar o seu humor e a sua vontade. De repente trocamos os papéis. Ah, e o meu papel anda tão amarrotado... Pela primeira vez as cicatrizes pulam aos meus olhos, e me fazem recoar. Mas eu não queria, agora não. Eu quero querer todo o tempo. Só que quero um tempo só, um tempo inteiro. Não quero frações de segundos, minutos que só duram uma chama. Quando você vai, parece levar algo de mim, que me deixa oca. Preciso estar contigo para estar comigo.

domingo, junho 07, 2009

Imagine me and you.

-


- Lembrei de uma cena em que uma pessoa dá um lírio a outra, e a pessoa pergunta o que significa o lírio, e a outra diz: Eu te desafio a me amar.
- Nossa...
- Acho que eu joguei fora o meu último lírio, ao invés de oferecer.
- Fica pra quem encontrar.
- Eu não sei se quero que encontrem.
- Então era pra ter guardado!
- Na verdade, acho que queria ter ido lá, metido as caras, oferecido. Mas eu tive medo de que jogassem fora, e acabei jogando de pura birra.
- E por que não pega e oferece de novo?
- Se eu já tinha medo de que ele não fosse aceito quando estava novo, imagine agora, amarrotado e feio! Acho que ninguém vai querer um lírio assim...
- Como você pode saber?
- Acho difícil. Deixa ele quietinho.
- Não importa como ele está, mas sim como pode ficar, no que pode se transformar. A questão de ele estar assim é só cuidado. Se cuidar certinho de novo, ele vai ficar novinho.


-

As pessoas deviam controlar os seus impulsos poéticos, e algumas outras, o vício de sonhar.

quinta-feira, junho 04, 2009

E por falar em amor...

Mariana: falando em amor...e as coisas , como vão?
Eva: não vão.
Eva: ah, desisti.
Mariana: mas, se desistiu, é pq acha que foi o certo..
Eva: desisti porque imaturidade me faz perder o encanto, mas não vamos falar nisso.

não vale a pena.
Mariana: e quando o encanto acaba...
Eva: acaba o sentimento...? não, não acaba.
Eva: mas enfim, o tempo há de resolver o que eu não pude resolver sozinha.

segunda-feira, junho 01, 2009

Alcohol bottle


"I don't wanna be the girl that has to fill the silence
The quiet scares me cause it screams the truth
Please don't tell me that we had that conversation
I won't remember, save your breath, 'cos what's the use?

Aahh, the night is calling?
And it whispers to me softly come and play
Aahh, I am falling
And If I let myself go I'm the only one to blame

I'm safe
Up high
Nothing can touch me
Why do I feel this party's over?
No pain
Inside
You're like perfection
How do I feel this good sober?"


"If only for tonight
A midnight bottle gonna ease my pain
From all these feelings driving me insane"

I need of a midnight bottle.
Now.

Não vale a pena.

"Gostaria de dizer que não me arrependo
Que não há divídas emocionais
Porque, quando a gente se despede, o sol se põe
Nosso romance acabou
A sua sombra me cobre
O céu é uma chama
Que só os amantes vêem"

Chega, eu desisto.

"É uma pena, mas você não vale a pena
Não vale uma fisgada dessa dor
Não cabe como rima de um poema
De tão pequena."