domingo, junho 07, 2009

Imagine me and you.

-


- Lembrei de uma cena em que uma pessoa dá um lírio a outra, e a pessoa pergunta o que significa o lírio, e a outra diz: Eu te desafio a me amar.
- Nossa...
- Acho que eu joguei fora o meu último lírio, ao invés de oferecer.
- Fica pra quem encontrar.
- Eu não sei se quero que encontrem.
- Então era pra ter guardado!
- Na verdade, acho que queria ter ido lá, metido as caras, oferecido. Mas eu tive medo de que jogassem fora, e acabei jogando de pura birra.
- E por que não pega e oferece de novo?
- Se eu já tinha medo de que ele não fosse aceito quando estava novo, imagine agora, amarrotado e feio! Acho que ninguém vai querer um lírio assim...
- Como você pode saber?
- Acho difícil. Deixa ele quietinho.
- Não importa como ele está, mas sim como pode ficar, no que pode se transformar. A questão de ele estar assim é só cuidado. Se cuidar certinho de novo, ele vai ficar novinho.


-

As pessoas deviam controlar os seus impulsos poéticos, e algumas outras, o vício de sonhar.

Nenhum comentário: