quinta-feira, junho 11, 2009

Oh, metade exilada de mim

"(...) eu não quero me prender em te prender. vou acabar perdendo o que te demorei à encontrar. você faz falta quando vai. e quando está, parece durar apenas um segundo." (Paola De Mori)

Esse pra sempre custa tanto a chegar, que os meus dedos fervem, os meus olhos doem, meu desejo suícida. Eu quero te querer um pouco mais, e mergulhar no carinho que agora me parece tão ávido, tão bom, tão seguro. Por horas desejei não estar ali, mas que fosse contigo, em outro lugar, que fosse conosco, pela eternidade. Eu não soube aproveitar o seu humor e a sua vontade. De repente trocamos os papéis. Ah, e o meu papel anda tão amarrotado... Pela primeira vez as cicatrizes pulam aos meus olhos, e me fazem recoar. Mas eu não queria, agora não. Eu quero querer todo o tempo. Só que quero um tempo só, um tempo inteiro. Não quero frações de segundos, minutos que só duram uma chama. Quando você vai, parece levar algo de mim, que me deixa oca. Preciso estar contigo para estar comigo.

Um comentário:

"Sally" disse...

"parece durar apenas um segundo."

"Mas eu não queria, agora não. Eu quero querer todo o tempo."

me lembra tanta coisa ..