domingo, junho 28, 2009

Sonho que não se sonha

Não imaginei que a manhã de hoje seria assim. Estavamos em silêncio absoluto, nem troca de olhares havia. Ah, isso me incomoda tanto! E quando eu quase dizia "Eu preferia a briga a ferro e fogo", ouvi gritos, pancadas, e novamente gritos. Fui ao fundo e vi o garoto que gritava.
-Ai, tá doendo
-Cala a boca, moleque.
As pancadas sessaram. Para minha surpresa, o garoto falou:
-Pega o cinto!
-Você quer mais, é? Não já apanhou o suficiente?
-Não, eu quero que o senhor me mate! Pega o cinto!
E o homem voltou, em fúria, dai eu contei mais umas 20 pancadas. O silêncio voltou.

Nenhum comentário: