quarta-feira, julho 15, 2009

A eterna desventura de viver

-


Parece que o céu só desaba, parece que a chuva só me faz chorar mais, mais e mais. Alguém faz ideia de como eu estou me sentindo? Merda, merda, merda. É essa a sensação. Pegajosa, suja, com um odor que afasta toda e qualquer pessoa. Mas eu só queria saber o porque disso. Porque eu me torno tão repelativa, e repetitiva. É, deve ser pela repetição. Ou pela apelação. Pelo sentimento, quem sabe? Me parece que o estranho agora é sentir, é ter os nervos à flor da pele, é gostar, AMAR as pessoas. Essa frieza não é normal pra mim, muito menos essa descartabilidade contemporânea. Eu quero é abraçar mesmo! Tirar o ar, perder o juízo e o fôlego. Quero me declarar e dizer 'eu te amo' sem medo. Corpo a corpo, cara a cara, gozo a gozo. Amor por amor.


-

Um comentário:

Cleber Vaz disse...

Viver sempre é uma total desventura!

Obrigado pelo os comentários no meu blog, lí hoje. Seus textos são muito bons.

Bom! ganhou um leitor.