segunda-feira, setembro 28, 2009

Olhos de cigana

"Um olhar meio...não sei...é como se... ah, quando olha nos seus olhos a pessoa se perde...não sei explicar! Seria mais ou menos como hipnose... não sei explicar direito. Pra mim, é perigo. Porque quando olho nos seus olhos parece que eu perco todas as minhas muralhas, parece que você vai lá dentro e pode descobrir coisas que eu não quero que saiba. A invasão que você falou que há no beijo, há no seu olhar. Mas a invasão que eu falei não é gual do beijo, porque você falou que acha ruim... e a do olhar não é ruim"
-
Foi o que disseram. Mas sabe, ultimamente nem eu tenho achado que há em mim esse olhar assim, tão penetrante. Talvez porque eu simplesmente não penetre o sufiente pra controlar o que quero. E eu sei o que quero, sei sim. Embora saiba também que normas são normas, que meus ouvidos ainda vão ouvir muito sobre isso. Só que sinceramente...Tem pesado ser isso tudo. Porque eu queria par pra toda dança, pau pra toda obra. Eu queria me definir em linhas mais iguais, ou pelo menos adaptáveis. Menos submissas e mais seguras. Mais fiéis e menos derrapantes. Mais racionais e menos amantes.
-

Nenhum comentário: