terça-feira, dezembro 08, 2009

Mistério e solidão.

Porque hoje, era disso que eu precisava.
Ser, apenas ser.

Engraçado, havia esquecido desse comentário, que me arrancou uma curiosidade tremenda na época em que foi postado, e depois a curiosidade for adormecendo, adormecendo e em pouco tempo eu já nem lembrava mais. Só que hoje por uma coincidência dei de cara com ele de novo. Um pouco mais carente que o habitual, desejei um colo. Do tal anônimo, talvez. Ou de qualquer pessoa que entendesse o que há por trás dos meus olhos e do meu sorriso amarelo. De qualquer pessoa que pudesse me olhar e definir plenamente o que há aqui dentro ardendo feito fogo. Alguém que num olhar soubesse muito além das palavras que solto boba de vez em quando, e que fogem da realidade...ah, às vezes sou tão utópica! É, queria ter decifradas as minhas utopias só pra me afogar sem compromisso num abraço. Sem contas pra prestar, sem culpa, sem dor. Hoje a regra 'corpo quente, coração frio' não funcionou, e nem me esforcei pra se quer passar perto disso. Admito: Quero colo, vou fugir de casa, e peço em súplica pra dormir aí, com você. Passo por aí. Ligo antes, pode deixar. Juro que entro sem que ninguém veja. Mas só por hoje, deixe que eu repouse a minha cabeça cansada sobre o teu seio. Sim, mas de quem? Ah, não sei. Só sei que queria atingir a combinação plena de tudo, me sentir completa. Estou perdida em pedaços por todos os cantos. E hoje eu só quero colar os cacos, e descansar. Nada mais que isso, nada mais.

- Que tal aparecer, anônimo? xP

2 comentários:

Pâmela Marques disse...

Sabe,
Tem um anônimo que vem aparecendo nos meus comentários, peço a Deus todos os dias que ele me escreva, talvez eu alimente uma falsa esperança.
Que importa, né? Pelo menos ela enche o nosso ego e nos faz sonhar.

Anne disse...

que bunitinhu isso de quase um admirador secreto.Eu queria ter um tbm,mas o meu é tão tão secreto que nunca me escreve.