sexta-feira, janeiro 01, 2010

Agora vi-te, pequenita.

Quanto sentimento e intensidade num só corpo, num só coração. Onde foi parar o gelo que tanto comentei? Não havia gelo algum naquela menina. Quando desejei a ela que sentisse mais, nunca imaginei que chegasse à tanto. Tive vontade de protege-la do mundo mal, proteger a minha menina liberta dos seus próprios sentimentos. Tive vontade de ganhar super poderes pra arranca-la dali, de poder pré-estabelecer que não haveriam mais lágrimas. Tive vontade de pega-la no colo, de morder-lhe aquelas pequenas bochechas rosadas. Vontade de levar pra casa e cantar-lhe uma canção de ninar até dormir, e ficar ali, adimirando-a, horas à fio. Fazendo-lhe cafuné, deixando que minhas mãos percorressem os seus cabelos loiros. E por último, cochichar-lhe de leve: Tá tudo bem, minha pequenina.

- For you...

Nenhum comentário: