sábado, fevereiro 27, 2010

[Des]amando por postal. (amorosamente falando.)

Querido B.

Hoje, alguém me perguntou sobre uma frase escrita numa das suas blusas, e eu notei que ainda sabia a frase de cor, e a tradução dela. Notei que sabia o modelo, e todos os detalhes da blusa. Então pude perceber que ainda conheço cada linha do seu corpo. Tenho ainda a sua imagem cravada na minha retina, e ver isso com tanta nitidez me assustou um pouco. Por incrível que pareça, justamente hoje, alguém repetiu do meu lado uma frase que você sempre usa, e na minha cabeça se firmou a sua imagem falando-a. Hoje, alguém me disse que você estava apaixonado, e devo admitir que meu sorriso amarelou um pouco, mas não chorei. Não mais. Ela te abraçou na minha frente, e como que por programação, voltei o rosto para vocês dois. Mas não senti como se me roubassem algo, nem se quer uma fisgada de ciúmes no peito. Quando não temos nada, não há o que perder. Sua voz ainda soa linda, mas não arrepio. Já o seu sorriso me arrepia de maneira incontrolável. Acho que paixão é assim, sabe?! Um dia eu vou acordar e ao identificar o seu rosto no meio do nosso grupo de amigos na foto em cima do meu criado mudo, não sentirei nada além de um carinho fraterno. Ainda que não seja, tem que ser assim. Estou batalhando para me tornar adepta ao conformismo, e nada mais gratificante que notar que a falta que você me faz é cada vez menor. Espero que um dia você acorde por alguém que tenha te proporcionado algo melhor que o mundo que um dia eu te prometi, e que daria. Espero que ninguém nunca mencione o apelido que eu costumava te dar, e te faça lembrar de mim. Espero que alguém te dê colo, carinho e abraço na mesma proporção que eu. Espero que a sua vida seja completamente feliz sem mim.

P.s: Mando seu casaco por Hélia no sábado. (Ótima escolha, B., Ótima escolha.)
Um abraço amigo,
O. C.

4 comentários:

téka ropelato disse...

"Espero que a sua vida seja completamente feliz sem mim."

://
beijinhos

Milla disse...

que texto perfeito! me senti lendo as palavras que a pouco tempo estavam em minha cabeça todo dia, mas que por algum motivo passou. No começo é ruim mas depois tudo se encaixa e fica bem..é sempre assim. a amor gosta de nos proporcionar altos e baixos :)

ps. magina, adoro os textos que você escreve. comentar aqui não é nenhum esforço pra mim :) obrigada pela visita

beijos

Caicai disse...

"Espero que um dia você acorde por alguém que tenha te proporcionado algo melhor que o mundo que um dia eu te prometi, e que daria. Espero que ninguém nunca mencione o apelido que eu costumava te dar, e te faça lembrar de mim. Espero que alguém te dê colo, carinho e abraço na mesma proporção que eu. Espero que a sua vida seja completamente feliz sem mim."

Queria tanto roubar esse trecho e ter coragem de entregá-lo a alguém... adoro seus textos, meu anjo.

Samara disse...

Quando o amor acaba e não resta ódio. É quase errado, pois é cruel conosco desejar felicidade a quem nos deixou, que não se importou com todo o amor que poderia ter amado, nem com os sonhos que foram sonhados juntos. Que acabe o amor em ódio então. Mas que depois reste o "carinho fraterno" e se queira só que seja feliz.