quinta-feira, fevereiro 25, 2010

Devolve-me.

- Posso fazer-te uma pergunta?
- Mas é claro!
- Por onde anda a parte do meu coração que te dei, quando pedira?
- Está ainda aqui, guardada.
- Posso agora, pedir-te uma coisa?
- Sim, sim.
- Devolve-me.
- Mas por quê?
- Porque já não aguento mais viver com esse buraco no peito com as tuas medidas. Tu não o preenche, e sinto dor.
- Prometo-lhe curar a dor, com o meu ombro amigo.
- Junto com a parte do meu coração, dei-te amor-amante. Ainda que me desses o teu amor-amigo, ele sofreria por um vácuo sem tamanho. Então, por favor, devolve-me.

3 comentários:

Milla disse...

se as coisas pudessem simplesmente serem devolvidas assim muita coisas seria mais fácil de se resolver...é realmente uma pena não ser assim, mas se isso mudasse muita coisa mudaria também...

beijos

Thiago disse...

Perfeito!

Samara disse...

Não há mais nada a ser dito depois de "perfeito".