sexta-feira, fevereiro 05, 2010

Poeminha

-

E eu fico me perguntando o porque
De eu me ver tão distante de você
Quando me dizes que sou tão perto
Quando sou teu destino certo

Cada momento em vão me passa
Quando simplesmente abraça
Qualquer dos amigos meus
Que por me serem, são tão seus

Esqueço de tudo, em meio a aurora
E peço-te apenas que vá embora
Pois as dúvidas já me tomam o juízo
Cabe-me agora reparar o prejuízo

Dos desvarios que me incendeiam
Dos sonhos que me tonteiam
Do desejo que me aperta a roupa
Dessa nossa sintonia louca

Então, à meu pedido, vais
Crente de que não te quero mais
E é nessas horas que entendo o porque
De eu me ver tão distante de você

Um comentário:

Milla disse...

adorei o poema, acho que criar poemas com rimas requer muuito eu nunca fui muito boa com rimas.. mas suas palavras se encaixaram perfeitamente!

beijos e obg por me linkar e vistar *-*