terça-feira, março 16, 2010

Amargo.

Tenho no rosto um ardor que já conheço, mas ele dói mais. Dói lá dentro. Meu coração está pequenininho. Eu me sinto incompleta. Acho, na verdade, que sempre me senti. Sempre procuro algo que complete um buraco, um vazio que nunca termina. E ultimamente eu tenho vacilado para conseguir, tenho passado dos limites. Eu me machuquei, machuquei quem não devia, por isso é que dói tanto. Preciso de tantas coisas que não calculo os passos que dou, e todo desvio que ando para sentir menos só me leva pra becos sem saída. Não sei mais o que fazer sobre tudo isso. É sempre dor no fim das contas, é sempre sobre quem não merece que tudo recai. Depois do muro vem um precipicio em que insisto em me jogar. Se é terra firme, não é diferente, ela me parece sempre areia movediça. Eu afundo, afundo, afundo. A ponto de só sentir faltar o ar entre os soluços. Como fazer as coisas se tornarem menos cortantes, me diz?

(Dia mau.)

2 comentários:

Milla disse...

As vezes tudo parece dar errado, os caminhos que antes pareciam ser os que você sempre procurou se transformam e levam você para lugar nenhum. Os erros nos engolem e nós ficamos perdidos. Tente se agarrar naquilo que você sente que ainda é verdadeiro, naquilo que vale a pena lutar e sobreviver quando os dias são ruins :)

beijos

Samara disse...

Parecia que estava falando por mim. Mas eu sinto uma esperança como nunca senti, mesmo nesses dias maus que luto pra transformar em bons, e tenho tido algum êxito. Espero o mesmo pra você. Beijos!