quarta-feira, março 17, 2010

Loucura.

"Mas era apenas isso,
era isso, mais nada?
Era só a batida
numa porta fechada?

E ninguém respondendo,
nenhum gesto de abrir:
era, sem fechadura,
uma chave perdida?

Isso, ou menos que isso,
uma noção de porta,
o projeto de abri-la
sem haver outro lado?

O projeto de escuta
à procura de som?
O responder que oferta
o dom de uma recusa
?

Como viver o mundo
em termos de esperança?
E que palavra é essa
que a vida não alcança?" (Esperança - [meu] Carlos Drummond Andrade)

Eu nem estava pensando em escrever aqui. Hoje foi um dia louco, em que eu recebi mais elogios que o comum, mas estive um tanto sensível. Eu me peguei pensando nas besteiras que andei fazendo por esses dias, e em contraponto, no que vale a pena nisso tudo. É que alguém me fez sentir o que eu não sentia há tempos, alguém me olhou e disse: Você é capaz, você pode, você é incrível. E convenhamos que enxergar essa garota incrível tem sido por demasiado complicado. Mas hoje eu tive uma platéia que aplaudiu o meu trabalho, o que sei fazer de melhor. Tinha mais gente nela do que deveria ter, e eu, tola, pequena, esperei de apenas duas mãos algumas palmas, de apenas dois lábios um elogio, só que não pude ouvir. Embora todas as palmas ressoassem no meu ouvido, parecia que algo ainda me faltava. A garota incrível ficou miudinha, com vontade de chorar. Justamente por isso, parei para pesar as coisas. Não é louco que em meio a 20, 30, 40 pessoas, sinta-se falta de só uma? É estranho que uma palavra de alguém mude completamente o seu humor. Tem tanto no mundo pra se desbravar, e a gente fica se prendendo a uma coisa só, um beijo só, uma palavra só, uma pessoa só, e o pior: Espera algo que nunca vai vir, mesmo tendo mil pessoas para completar. Estou quase gritando por me perguntar: É mesmo só isso? Nada vai mudar? Nada do que pensei vai virar realidade? É mesmo só por esse bocadinho que eu estou me prendendo? É desse café pequeno que quero tomar? Parece loucura. Ou talvez não só pareça, seja. Porque toda paixão é uma metade loucura, e a outra metade? Também.

Um comentário:

Milla disse...

é incrível como apenas uma pessoa pode ter tanta capacidade de mudar o que somos. sempre quem não nos dá valor é quem queremos, é tanta vontade de se machucar para conquistarmos o que queríamos que quando caímos na real sentimos mais dor do que o normal para se sentir..acredite em você mesma, você sabe a capacidade que tem e uma pessoa não pode mudar isso :)

beijos