sexta-feira, maio 21, 2010

Aquela competição.

"O meu erro foi crer que estar ao seu lado bastaria."

Eu te quis. Isso me foi impossível de segurar naquele dia de sol forte sobre as minhas e as tuas costas. Eu me machuquei, e foi difícil não chorar, não deixar transparecer o meu descontentamento por você me ser tão indiferente. E eu me reeduquei tanto, que quase não o senti, tanto que vibrei por você todo o tempo. Você sabe que estava sozinho, que eu era a única fã desvairada que queria te ver vencer a competição. Mas tudo o que eu fiz foi te ver buscar outros olhos, outros gritos. Ora, veja... Nenhum deles foi pra você! Nenhum ao não ser o meu, abafado pela minha armadura para não parecer submissa. Eu estava lá, todo o tempo. Preocupada com o risco de que você se machucasse, torcendo para que você pudesse ganhar. O que você fez foi não me dirigir a palavra sequer um momento. Sabe, eu quis comemorar com você, quis te abraçar. Mas me contentei em te dar um parabéns tímido, enquanto você me perguntava daquela maneira bruta sobre qualquer um dos acessórios que você tinha pedido para alguém (que não eu, como sempre) guardar. Esse alguém comentou comigo sobre um dos seus defeitos. Eu concordei, e apontei outros muitos, e ela me disse "mesmo assim você o quer, o deseja e o ama", eu não pude deixar de concordar. Eu realmente quero, realmente desejo, realmente amo. Talvez da maneira mais intensa que já senti. Mas não era para ser dessa forma, não era para ser desse jeito mau-feito, sem elo, sem cor. Deveria ser pelo menos como qualquer uma dessas suas amizades de banco de praça. Só que eu sei que não é, você sabe que não é. E me pergunto porque não já que você me fala tanto sobre o carinho amigo que me tem. Me pergunto porque tudo é diferente para você quando se trata de mim. Porque todas as coisas mudam tão drasticamente quando eu entro em campo. Talvez eu nem queira mais amor, talvez eu tenha cansado dessa espera esteticamente feia e utópica. Eu quero só o seu carinho amigo, o seu abraço antigo, a nossa cumplicidade e o nosso elo. Eu quero só ser aquela amiga que você colocava em primeiro lugar como antes, ou estar simplesmente no podium de onde parece que sai e já não posso mais voltar.


"What you got boy it's hard to find
I think about it all the time
I'm all strung out, my heart is fried
I just can't get you off my mind
(...)
Hey, so I gotta question
Do you wanna have a slumber party in my basement?
Do you wanna make it hot, beat like an 808 drum?"

3 comentários:

téka ~ disse...

Pior do que amar e não ser amado,
é amar e ser ignorado... =/

Beijinhos

Mariana Pimentel. disse...

A gente não pode jogar e ganhar pelos outros, nem torcer quando o podium lhes é indiferente. Façamos nosso próprio jogo!

Karla Thayse disse...

Olá Eva!
Obrigada por visitar meu cantinho e pode voltar lá sempre que sentir vontade, será um prazer!
é lindo aqui...
Tenha um final de semana iluminado!
Beeijo