domingo, maio 30, 2010

Como se fuera la ultima vez.


Habita-me como nunca antes
Navega-me como teu mar
Afoga-me em nuvens de beijos
Tu, que lanças-me
Estes olhos de fogo
Põe em mim o teu desatino
Como se põe um laço de fita no cabelo
E despreocupa-te
Se haverá sou amanhã? Não sei
Não hei de ter necessidade de saber
Pois aqui há o brilho do olhar...
Do olhar mais bonito que já pousou sobre o meu.

Um comentário:

Milla disse...

O brilho de um olhar pode muito bem substituir o sol às vezes e por mais que as situações mudem, o brilho continua intacto sempre.

beijos