segunda-feira, maio 17, 2010

É que o trem, o trem já vai partir.

Aqui dentro, em ebulição, todas as "certas coisas que eu não sei dizer". As palavras vem desabrochando nos meus lábios e se desconectando. Perto de você, não falo nada que se possa aproveitar. Acho esquisito mostrar-me assim, ver os outros falarem do meu romantismo enquanto você está presente. E te ver ficar sério, às vezes concordar, e me dizer que sou romântica por demais. Mas louco mesmo é esse turbilhão que me acontece por dentro. Estou uma loucura só. Já não sei dizer o que quero que fique, ou que deve ir embora. Aliás, no fundo, bem lá no fundo, eu devo saber. Só não quero entender que eu realmente preciso ir. Talvez por ter acreditado em todos os comentários bobos dos meus amigos, talvez por ter levado à sério demais as suas brincadeiras, ou simplesmente por não querer sentir esse desprezo que de vez em quando você borrifa pra perto de mim. Admito que não quero acreditar no fracasso dos meus encantos. Porque desacreditar novamente, seria como cortar à pele com afiadas facas. O problema envolve bem mais que o seu coração. Tudo toma outras dimensões e tende a ir de encontro com os meus medos, as minhas inseguranças. Eu nunca acreditei muito em mim, mas sempre tive quem fizesse isso. Se você foge a regra, eu caio feio. Mas sabe, ilusão também nunca foi o meu forte. Não quero confabular planos para um castelo que construí sozinha, não desejo acenar da janela mais alta esperando que aconteça o meu final feliz. É, talvez eu esteja me acostumando a ideia de sentir sangrar os cortes na pele. Então, não me venha perguntar de onde vem os meus olhos caídos, a minha cara amassada, o borrão na minha maquiagem. É uma questão de tempo, você sabe. Amanhã ficará tudo bem.

(ou não...)

7 comentários:

Camila disse...

estou meio assim,sem rumo,com ideias soltas ... romantismo demais,pouco dele e por aí vai (:
tudo melhora.

bjos

Milla disse...

Talvez seja um sentimento passageiro ou talvez não seja...Mas a verdade é que as coisas passam ou ficam de acordo com as nossas escolhas. E geralmente as coisas sempre podem estar melhores no outro dia :)

beijos

Tâmara disse...

Eu também ando em estado de loucura!...talvez seja a hora certa de manda-lo ir embora. talvez a hora certa de manda-lo ficar. mas, o tempo cruel e determinante nunca tem certeza. Nunca!.....

Flor, amei tua escrita. Doce e firme na mesma proporção.

Beijos!

Barbara Salvan disse...

OOOOI, obrigada por passar no meu blog!
Adorei o seu tb!
Estou seguindo, bjuuus

Lury Sampaio disse...

Ah, sofro desse mal de ser romântica demais também, mas com o tempo desaprendi a demonstrar esse romantismo, ele fica guardado só em mim.
Com certeza, o amanhã sempre vem, com ele sentimentos novos.
beijos.

Be Lins disse...

Você é uma menina muito porreta, viu?...gostei das suas palavras intensas.

Beijo

Por que você faz poema? disse...

O dia seguinte traz sempre promessas de melhorias, eu acho.

(E o teu comentário foi bastante
oportuno e espirituoso).
Boa Sorte!