domingo, julho 04, 2010

Disritmia.

Eu tremia, enlouquecia, desesperava. Há coisas que realmente nos transportam para outros lugares. Mania minha de sentir tudo a mais. Só sei que tremia como se habitasse um dos pólos, enlouquecia como um paciente de qualquer um desses hospícios para casos críticos. Recompus a respiração e reeduquei a minha desritmia, debrucei-me sobre o parapeito da janela para me mudar o foco, não molhar as lentes. Fiquei quieta para que sanasse aquela sensação insuportável.
Passou. Tudo, um dia passa.

Nenhum comentário: