quinta-feira, agosto 26, 2010

Platônico.

(18 de março de 2007)

Não há ninguém que apareça pra te levar pra casa. Não há ninguém que te beije no fim do dia. Não, querido, não há. E sabe, isso é o que eu mais odeio em ti. Eu sei que há alguém que te desconcerta, que te põe louco, mas sei também que daqui há pouco tempo você já terá mudado de "alguém" algumas vezes. Hoje eu senti vontade de te ver beijando alguém. Qualquer moça, entende? Qualquer uma. Só para que eu entendesse que há outras dimensões na sua vida. Só para eu enxergar ao vivo que você não sonha comigo. Mas não, você continua ai. Um bobo, sempre só. Sempre triste, sempre queixoso, sempre repelente. Sabe, hoje, quando te vi sentado naquele passeio feio, próximo aquelas rosas bonitas, senti vontade de lhe estender a mão, dar-lhe uma daquelas flores. Dei-lhe só um dos meus sorrisos ensaiados, e segui o meu caminho. Não tive coragem. Pode gritar comigo, me chamar de medrosa (como sempre), me dizer que tenho medo de tudo. Porque não é mentira. Tive medo, sim. Medo de que você me negasse, ou aceitasse sem vontade a minha ajuda. Medo de que você me mandasse embora de novo. Fiquei de longe te observando, te vendo levantar, e ir para eu não sei onde. Nunca sei. Juro que às vezes isso me faz louca, mas só às vezes. Só quando deslizo e noto que não sou tua dona, nem sequer sua mulher. Que talvez eu seja só a amiga de cabelos negros e cacheados de all star quadriculado, como você me definiu. Pequena definição. Sou um tanto mais, baby. Mas sabe, não sei se quero que me descubra muito mais que isso. Não sei se quero te fazer dar de cara com os meus defeitos, a minha instabilidade, a minha sensibilidade. Talvez esse seu jeito independente tenda a odiar o meu carinho extremo, minha estranha necessidade de sentir. Então, por isso, continuo aqui, por trás desse muro. Te olhando pelas pequenas frechinhas que se abriram com o tempo, decorando teus passos com meus olhos, querendo e não querendo te ver um dia tocar a minha campainha.

3 comentários:

Deise disse...

nossaaa, me emocionei! Muito lindo!

TAMIRES disse...

já escrevia bem nesse tempo? 'o'
esse foi o texto teu que eu mais gostei. sério, achei demais.

Caicai disse...

amores do passado? ou amores do sempre?

sabia, ler seus textos sempre me da vontade de escrever..rs..andei rabiscando umas coisas ultimamente, mas nao tenho onde postar mais..hahaha tao so no caderno..preciso recuperar minhas raizes..

ah, saudade do meu anjo!!