domingo, outubro 31, 2010

Desperto.

Cheguei a um ponto crítico, inegável. Ando beirando a loucura, querendo gritar, querendo ser. Enchendo a cara e esquecendo de tudo depois. Parece fácil, mas não é. Eu queria te dizer tanta coisa, mas tanta coisa... Inútil. Minhas palavras andam tão confusas quanto meu coração. Eu não tô me sacando mais, você me entende? Passo noites a fio pensando em milhares, milhares de coisas, pessoas, cheiros, lugares. Não me seguro em nada disso. Não quero brincar com você, não quero brincar com ninguém. Hoje eu acordei querendo que todo mundo me mandasse embora. Embora, sabe? Pra me desfazer de todos os meus laços sem culpa. Hoje eu acordei querendo ir pra qualquer lugar, esquecer. Pegar aquele ônibus pro Rio Vermelho e só voltar pra casa quando desse na telha. Hoje eu acordei querendo recomeçar do zero, sem marcas, sem sangue, sem cicatrizes. Falar palavrões e tomar banho de cachoeira. Andar em alta velocidade e não sentir medo de você. Não sentir medo de morrer, não sentir medo de ser feliz. Hoje eu acordei querendo não ser eu mesma.

Um comentário:

Samara disse...

Já acordei muito assim... =/