sexta-feira, outubro 29, 2010

Sargaço mar*

Vejo a sua foto subir no canto direito da tela do meu computador e não sinto fisgar o peito. Só cansaço, e algum medo de que você venha me contar mais alguma novidade ruim. Vejo as suas palavras amigas aparecerem e lembro de todas as frases quentes que ouvi naquele fim de março. Tento não pensar em todo o resto. Impossível. Seu corpo moreno ainda flutua pelo meu pensamento. Meus dedos ainda sentem o teu peito, minha boca ainda pede mais. Mais uma hora, um dia, um momento. Só pra saciar essa vontade louca do teu gosto, só pra te ouvir dizer novamente que eu sou a menina mais linda que você já viu. Só para beijar os teus olhos e sentir a sua barba arranhar o meu rosto. Só pra te ver chegar daquele jeito que eu adoro, sem marcar horário, sem que eu menos espere. Só pra falar sobre política e música, beijos e poesia. Só pra poder roubar pra mim mais um pedacinho de você, já que não posso tê-lo inteiro, completo, meu. Já que sei que os seus passos andam por outros caminhos, já que sei que o seu amor é mesmo o mundo inteiro. Peço, embora saiba que é de pedras perigosas o seu mar. Aqui, na areia quente dessa praia, desidrato. Sonho em me atirar, me perder, me afogar. Sonho, apenas. E volto sempre pra casa, com esse gosto amargo de limitação.

* Título emprestado da música do Cd Maré, da Adriana Calcanhotto. Muito bom, por sinal. ;)

Nenhum comentário: