sexta-feira, dezembro 17, 2010

Mais fácil.

Há quase oito meses atrás, você me perguntou se eu desistiria sem sequer chegar à melhor parte (você se lembra?). Lembro-me de ter pensado: "Me mostra logo essa melhor parte, poxa!". Hoje, passados esses meses todos, posso entender que talvez a sua "melhor parte" não fosse nada do que eu imaginava. Hoje, posso entender que o seu carro não aparecerá por efeito de mágica na minha frente, e que nesse momento talvez você esteja misturado aos corpos frenéticos que dançam, beijam e bebem sem parar. Mas olhe, eu aprendi também. Aprendi a não de esperar nada de você, simplesmente. A partir daí, tudo ficou mais fácil, devo admitir. Eu, por sinal, pude me permitir também outras bocas, outras vibes, outros mundos. E, de vez em quando... A tua boca, a tua vibe, o teu mundo.

Nenhum comentário: