quarta-feira, abril 06, 2011

A hora de reverberar.

Era tarde de domingo, e eu chorava. Algumas palavras haviam me tocado fundo, e eu me sentia nada outra vez. Uma sessão aleatória de músicas tocava nos fones e eu desaguava baixinho. De repente, começou a tocar "acabou chorare", dos Novos Baianos. E não sei o porque (muito provavelmente por um impulso vital), enxuguei as lágrimas. Pronto, fim. Já era o bastante. O pranto já havia molhado o meu seio nu, meus olhos e bochechas já tinham avermelhado. Não haveria como voltar atrás, como mudar. Então, por que render tão preciosas lágrimas? Eu tinha pelo menos 5 matérias para estudar, assim como outros tantos problemas para povoar a minha cabeça. Ele não deveria tomar todo esse espaço. E não tomou. Tomei um ducha fria, um chocolate quente, e estava de cara nova e com uma coragem imensa pra seguir em frente.

Nenhum comentário: