terça-feira, outubro 30, 2012

Sobre o monstro persuasivo.

"Oi, sou Talita. E não tenho capacidade de influenciar ninguém, nem vivo em prol disso, almejo passar despercebida e anseio por minhas próprias verdades tanto quanto pela desconstrução de meus erros. Quando insistes na ideia de que recaia sobre mim alguma culpa de persuasão, persisto na ratificação de que não tenho capacidade de ser nem boa nem má influência para outrem, simplesmente por não saber a fórmula de ser alguém tão boa ou tão má para mim mesma, quem dirá para você, para os seus. Para George Bernard Shaw existem pessoas que vão em busca das circunstâncias que querem e se as não encontram, criam-nas, analisando assim, passo a ser sua circunstância insana criada e o ser que influencia de forma maléfica aquilo que não pode se proteger de mim." 

(Talita Bezerra)

Nenhum comentário: