terça-feira, novembro 27, 2012

(a)mar.



Somos algo essa noite
Somos algo a meses inteiros
Teu corpo pequeno pousa sobre o meu
Nos misturamos como amantes à moda antiga
Suspiramos amor imenso
Teus dedos descobrem a minha boca
Beija-me
Trêmulas, as minhas mãos buscam navegar no teu íntimo
Mas és tu o marinheiro
Navega como se descobrisse oceanos inteiros
Bebe-me
Juramos milhares de coisas
Descobrimos ávidos outras muitas
Perco-me
Sou inegavelmente tua
Somos inegavelmente nossos
E a minha mente cheia de paixão e loucura
Suplica em segredo aos céus
Que permaneçamos assim por anos à fio

Nenhum comentário: