domingo, dezembro 23, 2012

Se

(Rudyard Kipling)

"Se és capaz de manter tua calma, quando,
todo mundo ao redor já a perdeu e te culpa.
De crer em ti quando estão todos duvidando,
e para esses no entanto achar uma desculpa.
Se és capaz de esperar sem te desesperares,
ou, enganado, não mentir ao mentiroso,
Ou, sendo odiado, sempre ao ódio te esquivares,
e não parecer bom demais, nem pretensioso.
Se és capaz de pensar - sem que a isso só te atires,
de sonhar - sem fazer dos sonhos teus senhores.
Se, encontrando a Desgraça e o Triunfo, conseguires,
tratar da mesma forma a esses dois impostores.
Se és capaz de sofrer a dor de ver mudadas,
em armadilhas as verdades que disseste
E as coisas, por que deste a vida estraçalhadas,
e refazê-las com o bem pouco que te reste.
Se és capaz de arriscar numa única parada,
tudo quanto ganhaste em toda a tua vida.
E perder e, ao perder, sem nunca dizer nada,
resignado, tornar ao ponto de partida.
De forçar coração, nervos, músculos, tudo,
a dar seja o que for que neles ainda existe.
E a persistir assim quando, exausto, contudo,
resta a vontade em ti, que ainda te ordena: Persiste!
Se és capaz de, entre a plebe, não te corromperes,
e, entre Reis, não perder a naturalidade.
E de amigos, quer bons, quer maus, te defenderes,
se a todos podes ser de alguma utilidade.
Se és capaz de dar, segundo por segundo,
ao minuto fatal todo valor e brilho.
Tua é a Terra com tudo o que existe no mundo,
e - o que ainda é muito mais - és um Homem, meu filho!" 

quinta-feira, dezembro 20, 2012

...









Às vezes eu me olho no espelho e enxergo na minha cintura a medida exata da tua mão. 

quarta-feira, dezembro 19, 2012

Invictus

 (William Ernest Henley)


"Noite à fora que me cobre
Negra como breu de ponta a ponta
Eu agradeço, a seja quais forem os Deuses
Por minha alma inconquistável.

Nas cruéis garras da circunstância
Eu não fiz cara feia ou sequer gritei.
Sob as pauladas da sorte
Minha cabeça está sangrenta, mas não abaixada.

Além desse lugar de raiva e lágrimas
É iminente o horror da escuridão
E ainda o avançar dos anos
Encontra, e deve encontrar, sem medo.

Não importa o quão estreito seja o portão,
O quão carregado com castigos esteja o pergaminho,
Eu sou o mestre do meu destino;
Eu sou o capitão da minha alma."


PUTA  QUE O PARIU!!!

terça-feira, dezembro 04, 2012

"Gente do bem".


Não adianta fazer yôga e não cumprimentar o porteiro. Não adianta meditar e se achar no direito de intitular os erros e acertos do outro. Não adianta ir à igreja e xingar no trânsito. Isso não é ser "gente do bem". E eu vou te dizer o que é: Ser "gente do bem" é entender que a vida do outro é terreno proibido se ele não te dá espaço para entrar. Ser "gente do bem" é levar o cachorrinho pra passear. Ser "gente do bem" é pensar melhor. Ser "gente do bem" é perdoar. Ser "gente do bem" é respeitar o amor, nas suas variadas formas. Ser "gente do bem" é enxergar a alma, ao invés de julgar a caixa que a guarda. Ser gente do bem é ajudar o vizinho a cuidar das pragas no jardim, ao invés de julgá-lo como descuidado todos os dias. Ser "gente do bem" é não fazer esforço nenhum pra ser, e ainda assim, sê-la.