quarta-feira, fevereiro 06, 2013

Negra

Ela é dona do jogo. Tão dona que dá medo de jogar. Ela tem um sorriso do tamanho do mundo inteiro, e uma tristeza nos olhos. Pequenos olhos negros em que (dizem alguns) não se pode confiar. Ela queria ir pra Paris. Ela tinha um punhado de sonhos alastrados por um quadro familiar complicado. Tentou ser mil coisas, não conseguiu nada. Um dia ela disse: "Mãe, tô indo pra longe, e não volto". Foi quando disseram "o círculo  fechou pra ela". Quando se foi, ela tinha lágrimas nos cantos dos olhos, uma vontade de que tudo não fosse dessa forma. No fundo, ela só queria estar em paz.

Nenhum comentário: