segunda-feira, janeiro 04, 2016

Náufrago

Ignorante do naufrágio que me trariam os teus olhos, naveguei. Ficou essa saudade infantil e irresponsável, de quem não sabe ficar. De quem não sabe ser gente madura que não se apetece. De quem quis ser cais. Qualquer coisa dessas que dominam a sensatez e fazem a gente ranger os dentes. 

Nenhum comentário: